Por quem os sinos dobram
Por quem os sinos dobram?
17/09/2018
Amor além de nós - Nomoblidis - Posvenção de Suicídio
Amor além de nós
22/10/2018
O Tsuru Laranja | Posvenção de Suicídio | Nomoblidis

O último dia do Setembro Amarelo amanheceu nublado com cara de chuva, mas quente, findando o mês que anuncia o início da Primavera.

Não havia dormido bem, uma gripe apareceu e não e deixou descansar direito, acordei várias vezes e no horário de me levantar estava quebrada.

Mas mesmo assim, segui com minha programação. A oração para me dar forças,  pois ainda havia um último evento do CVV o qual eu quis muito participar, a Caminhada pela Valorização da Vida.

 

Um evento para falar da vida, da esperança.  Encontrei amigos que há tempos não os via e outros que havia visto no dia anterior.

Foi um evento lindo, animado. Várias pessoas embaladas pelo ritmo da Bateria Desce a Broca de jovens do curso de Odontologia da Uninove que apoia a causa, as batidas dos tambores davam o compasso dos passos que seguíamos pela Avenida Paulista, amarelando as vitrines por onde passávamos, contagiando as pessoas que paravam para tirar fotos.

Neste evento, conheci pessoalmente a Dra. Karina Okajima Fukumitsu, uma pessoa extraordinária. Recebi de suas mãos um pequeno Tsuru de origami, que ela entregava para as pessoas e falava do significado do pássaro. E ela me deu um amarelo e laranja, a cor favorita da Marina.

E na hora me veio a lembrança que quando meu avô Dino completou 96 anos, eu e a Marina, fizemos centenas de Tsurus para decorar a festa, pois ele simboliza a vida, saúde e longevidade.

Existe a lenda de que se fizer 1000 Tsurus com o pensamento voltado em um desejo, esse desejo se realizaria e na ocasião Marina me ajudou e ela  gostou tanto de fazer os origamis que fazia e dava para as pessoas.

Ontem ao receber o Tsuru e o abraço da Karina, senti que apesar de estar exausta devido a grande exposição que tive neste mês de setembro, preciso continuar.

Em Setembro fiz muitas coisas que nunca imaginei fazer um dia, depoimento na Assembléia Legislativa de SP, entrevistas para alguns programas de TV, participei ao vivo do programa da Fátima Bernardes, assisti lançamentos de projetos pela Prevenção, participei como palestrante em um Simpósio sobre Prevenção e Posvenção do Suicídio, enfim foi um mês intenso.

No final da caminhada, o Joseval disse que a campanha do Setembro Amarelo deve começar em outubro, pois em Setembro todos falam e nos demais meses é esquecida,  e  nós devemos falar em todos os meses do ano, falar neste assunto espinhoso sempre, levando informações corretas e mostrando que informações salvam vidas.

O setembro terminou com chuva anunciando um início de outubro molhando, lembrando que chuva é vida, sem chuva nada nasce, nada cresce, nada floresce. E que a chuva não é o fim e sim um começo.

Michelle, uma companheira de dor, que nem nos conhecemos pessoalmente, escreveu um texto que me emocionou muito, pois ela retrata bem o que é perder alguém para o suicídio e que nós somos pessoas em carne viva, desnudas de nossas vaidades, pois acredito que nesta dor não temos posições sociais, profissões,  não temos nomes  mas nos reconhecemos na dor e que nos apoiamos uns nos outros e isso é o que nos faz seguir adiante.

Que venham mais meses sejam lá de qual cor,  com chuvas que tragam esperança e que possamos ser como os Tsurus na vida de muitas pessoas, levando a mensagem de amor, de  saúde e de longevidade.

1 Comentário

  1. Ivo Oliveira Farias disse:

    Magnífico !
    Seguir adiante é o sentido da jornada que nos coube e aceitamos trilhar.
    O nosso sustento é o regozijo pelo bom resultado das ações amorosas que vamos nos incumbindo de cumprir como missão humanitária.
    Abraço forte, de coração a coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *