Falar de luto é falar de vida | Nomoblidis | Posvenção de Suicídio
Falar de luto é falar de vida.
21/11/2019
O cacto e o luto | Nomoblidis | Posvenção do suicídio

O Cacto e o luto

Eu neste meu processo de luto adotei uma série de artimanhas para driblar a dor, não que eu queira viver enganada ou fugindo, pelo contrário, é uma forma que consegui para me adaptar a nova realidade.

Uma amiga de luto um dia falou que quando perdemos o filho por suicídio, ficamos loucas, não louca no sentido de perder o juízo por completo, mas de usar a loucura como uma maneira para conseguir seguir adiante. 

E uma das primeiras coisas que temi foi de enlouquecer, daí a necessidade de falar sobre o que me aflige e de ouvir outras pessoas com a mesma necessidade. 

Busquei várias formas de apaziguar a dor, além da escrita.  Pensei que jardinagem poderia ser bom, comecei a fazer terrários, o primeiro ficou lindo, mas por não ter tanta experiência, acabei matando um pequeno cacto afogado, então desisti da jardinagem. 

Porém deixei um vasinho com um cacto que de vez em quando eu coloco água nele e ao olhar para ele que cresce alí sozinho, fiquei pensando em muitas coisas. 

Todo texto que publico no blog eu escolho uma imagem para ilustrar, por vezes vai de encontro com o que escrevi, outras nem tanto, vai do que estou sentindo. 

No último post coloquei uma nuvem tampando o sol e  expliquei para uma amiga enlutada o motivo de ter escolhido a imagem e o que simbolizava para mim. 

Para mim  a  nuvem tampando o sol representa a escuridão que nosso luto é, e os raios que aparecem em volta representa nossa vida, o luto é muito triste, escuro e frio, mas  a vida ainda existe e tenta transpassar a escuridão e que devemos deixar o sol brilhar e nos iluminar apesar de tudo.

O símbolo do no m’oblidis são duas mãos fazendo um coração, pois a Marina tinha esse hábito e o gesto ficou eternizado no símbolo, mas para mim, a pena é o que me remete a ela, não encontrei ainda uma explicação que não pareça loucura, mas a pena é meu elo de ligação com ela. 

Observo que muitos remetem a flores e seus significados tudo que é ligado ao luto. O Girassol é um símbolo lindo, de união, acolhimento. A flor de Lótus de renascimento, o Dente de leão de esperança e ao ficar olhando para o cacto me comparei a ele e ao luto que vivencio. 

O cacto é uma planta que cresce em um terreno árido, não é bonito, é disforme e seus espinhos afastam quem quer chegar perto. 

Decidi pesquisar sobre o cacto e encontrei a seguinte explicação no dicionariodesimbolos.com.br

O cacto, que tem o nome originário do latim, o qual provém do grego κάκτος (kaktos), simboliza resistência, força e adaptação, simboliza a persistência, por ser capaz de sobreviver a ecossistemas muito áridos e quentes, como desertos, caatingas e cerrados. Dispõe de uma resistência que poucas plantas possuem.

O cacto representa proteção e resistência.

Ele é um símbolo de ajuda em situações difíceis. Por ser uma planta resistente e adaptável, além de possuir um exterior forte e um interior belo, possui uma simbologia de fortaleza e persistência. 

E a partir de hoje usarei o cacto como um símbolo do meu luto. Sou um cacto, que cresce em uma situação difícil, que afasta muitos, mas que também dá  flores e frutos. 

E parafraseando minha amiga Cida, ficamos todos loucos e hoje na minha loucura decidi ter um cacto como a representação da minha vida como sobrevivente e que na aridez deste deserto que pode ter se tornado a minha vida, sou um símbolo de persistência e que guardo dentro de mim algo que me faz florir. 

Agradecimento especial a minha querida Psicóloga Suzete Canhasi, que me fez entender e aceitar o que realmente sou.

1 Comment

  1. Mariliz Gritten disse:

    Olá Terezinha seus textos esclarecem tudo que nos sobreviventes sentimos …em lugar frio árido escuro e temos que seguir vivos..como cactos …hoje estive no Gass do cvv aqui em Curitiba e cada vez percebo que suicídio não é falado vira um tubo até dentro da própria família pois estava só eu e mais uma pessoa lá hoje ..busco palavras de conforto em seu blog a Marina meu irmão Emerson vão estar sempre em nossas vidas até o dia que aguardamos o reencontro.
    Um forte abraço gratidão
    Mariliz G.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *