fbpx
O livro do professor - Posvenção do Suicídio
O livro do professor
30/01/2021
Luto é um vazio cheio de tudo
Luto é um vazio cheio de tudo
14/03/2021
A Inveja no Luto - Posvenção no Suicídio

Photo by Pro Church Media on Unsplash

A inveja no Luto

Outro dia amanheci com dor no braço, precisamente no cotovelo direito. Pensei que fosse devido a ter dormido de mau jeito, achei que a dor passaria, mas não passou. 

Precisei procurar um médico,  falei rindo para ele, “estou com dor de cotovelo”, ele também riu e me perguntou se eu ficava apoiando demais no cotovelo, pois era devido a isso que existia a expressão, “dor de cotovelo”. 

Fiquei curiosa e fui pesquisar a famosa expressão sinônimo de inveja e achei duas versões, uma a de que o homem desiludido passava muito tempo com os cotovelos sobre a mesa do bar, segurando a cabeça, bebendo, pensativo, triste, olhando a vida passar, invejando quem era feliz e acabava ficando com dor no cotovelo por ficar muito tempo na mesma posição. 

A outra versão é de que quando alguém queria chamar a atenção de outra para mostrar uma ação de uma terceira, dava pequenas cotoveladas na pessoa ao lado para que ela olhasse, com desdém e inveja, devido a essas batidas, muitas vezes o cotovelo ficava dolorido. 

As duas versões fazem sentido e há tempo que queria escrever sobre um assunto, sobre um sentimento que temos no luto mas que ninguém gosta de falar que é a inveja. 

Inveja é um sentimento de desejo por ter aquilo que não se tem, frustração, não é um sentimento bom e por isso é tão negado.

A  inveja é um dos 7 pecados capitais e muitas pessoas se sentem invejadas, mas raramente admitem serem invejosas, falar que é orgulhosa, gulosa ou até ter apego a luxúria pega menos mal do que falar que tem inveja de alguém ou de algo.

No luto os sentimentos ficam muito confusos, uma mistura que as vezes nem sei definir qual sentimento é, assim como a culpa e a raiva que aparecem a todo momento a inveja também está presente.

Uma vez no grupo de apoio foi falado da inveja e eu disse que inveja era algo muito pesado, neguei que sentisse, mas com o tempo percebi que a inveja acaba aparecendo em vários momentos, sutilmente, transvestido de outras coisas, disfarçado. 

Disfarçado de  tristeza e irritação por perceber que coisas simples que antes eu fazia com minha filha eu nunca mais poderei fazer e ao ver mães passeando no shopping com suas filhas, nas cafeterias, nas livrarias me causava um certo desconforto.  Inveja de quem acredita em certas certezas que eu não consigo acreditar. 

Há quase 4 anos da morte da minha filha e este ano seria a sua formatura na Universidade, então admito que tenho inveja de quem poderá ter essa felicidade que eu não terei. 

Mas essa inveja não é de cobiça ou desdém pelo que é do outro é no sentido de não poder mais ter da mesma forma. E ao mesmo tempo que vem isto tudo, vem a gratidão por ter experimentado sentimentos bons ao lado dela, de ter vivenciado a felicidade, o amor.

Como já falei e escrevi muitas vezes, procuro não ficar amargurada, nem ressentida, sou humana, não sou perfeita e nem tenho pretensão de ser, passo por processos como todos passam, tenho vários defeitos mas busco melhorar como pessoa, a dor de cotovelo física eu ainda não descobri a causa, mas ela está sendo cuidada e a dor de cotovelo emocional também segue em tratamento, mas só de admitir que sinto, já é um grande passo.

8 Comments

  1. Fernando lima gama disse:

    Sinto a mesma coisa,onde moro tem um prédio enorme na minha frente com varandas com carrinhos de bebês, bicicletas,criancas e cachorros e sinto a felicidade deles no dia a dia,e quando penso na minha situaçã,parece que não pertenço a esse mundo,realmente dá muita inveja,como diz o Leandro Karnal,a inveja é o pecado envergonhado.

  2. karla cristine magalhães disse:

    Apesar de ter uma filha fisicamente aqui comigo e de ter dois netos lindos inclusive Emanuel de 6 anos se parece muito com o Armando César eu sinto quando vejo uma mãe andando ao lado de seu filho com a mesma idade do meu penso que poderia ser eu e Armando e tbm sinto raiva quando vejo mães maltratando seus filhos ai penso poxa eu amo tanto o meu e ele não esta mais aqui tipo porque elas tem seus filhos com elas e eu não!!!sentimentos misturados tudo muito surreal!!!

  3. Ines costa disse:

    Estou buscando um grupo de.apoio perdi meu filho em junho de 2021 por suicidio. E.esta.mto dificil.

    • Terezinha C. G. Maximo disse:

      Inês, sinto muito por sua perda.
      Temos em nosso site, na aba grupos de apoio, todos os grupos que estão ocorrendo online, com dia, hora, contato e como eles funcionam.
      Um abraço.

  4. Eurineide Neves Moraes disse:

    Perdi meu único filho, com apenas 20 anos com um grande sonho ser médico e dedicou sua adolescência e abdicou de tudo por esses sonho um dos melhores aluno do colégio, jovem alegre educado respeitador, mais o sonho era tão grande que ficou com medo de não realizar…eu digo sempre Deus me deu um anjo e um anjo levou…mais tem momentos na minha vida que me revolto que parece que todos estão bem e felizes só eu não…ao mesmo tempo peço perdão vá Deus desses tipo de sentimento de revoltada é tudo muito confuso😢😢

    • Terezinha C. G. Maximo disse:

      Eurineide, sinto muito por sua perda. E eu também tenho esses pensamentos, ao mesmo tempo que penso que Deus me deu um anjo e ele o tirou, me revolto com tudo que aconteceu, depois fico me achando ingrata. Mas entendi que isso faz parte do luto. Sentimentos e emoções que vão e vem, nos deixam confusas e cansadas de sentir tudo isso.
      Receba meu abraço.

  5. Sônia disse:

    Boa noite
    Pensei que este sentimento era só meu. Perdi meu filho em 2019 por suicídio e quando vejo meus sobrinhos ou ouço colegas falando de suas filhas ou filhos me dá uma tristeza. Penso que meu filho poderia estar aqui vivendo sua vida e fazendo suas conquistas, também.
    Um abraço

    • Terezinha C. G. Maximo disse:

      Sônia,
      A inveja causa muitos outros sentimentos, eu por exemplo me pego tendo raiva de algumas pessoas, principalmente daquelas que tem seus filhos e os desprezam e que brigam por qualquer coisa.
      Sabe aquele ditado “Deus dá noz a quem não tem dente?” pois é, fico pensando assim de vez em quando.
      A inveja faz parte do luto, assim como outros sentimentos que nem sempre conseguimos nomear.
      Receba meu abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *